Cuiabá, 19 de Junho de 2024

icon facebook icon instagram icon twitter icon whatsapp

Política Segunda-feira, 10 de Junho de 2024, 13:34 - A | A

Segunda-feira, 10 de Junho de 2024, 13h:34 - A | A

INIMIZADE QUE PERDURA

‘Eu queria estar numa boa com ele’, diz Emanuel sobre briga com Mauro

GD

Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que seu desejo era ter uma boa relação com o governador Mauro Mendes (União) para que pudesse discutir melhor as demandas da capital. O prefeito disse que apenas reage aos ataques e que já tentou uma reunião com Mauro, mas o pedido não foi atendido.

“A briga do governador comigo, eu só reajo, eu não pedi publicamente uma audiência para ele? Para tratar da saúde da capital, onde eu provei que só em um dia 75% dos pacientes que estavam no HCM eram do interior e 25% de Cuiabá [...]. Eu pedi uma audiência a ele, falou que eu tinha que pedir por escrito, oficialmente, eu pedi oficialmente, ele não quis dar”, disse Emanuel em entrevista ao programa A Notícia de Frente, da TV Vila Real na manhã desta segunda-feira (10). 

A relação entre Mendes e Pinheiro se rompeu após a inauguração do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), em 2019. Na ocasião Mauro entregou uma planilha ao prefeito para provar que, durante a gestão dele, as obras do HMC não ficaram paradas. 

Na época a “rivalidade” entre os dois não estava tão intensa e o próprio governador lembrou que foi aliado de Emanuel nas eleições de 2008 e 2012. Na entrevista desta segunda-feira (10) o prefeito também citou este período e afirmou que agora Mauro está com uma “visão mesquinha”. 

“Eu queria estar numa boa com ele. Pedro Taques, que foi meu adversário pior do que ele que foi meu aliado um dia, Pedro Taques foi duas vezes como governador do Estado no meu gabinete na Prefeitura de Cuiabá para discutir demandas da nossa capital, porque tinha compromisso com Cuiabá, não tinha essa visão turva, pequena, mesquinha, de prejudicar o povo para atingir o adversário político”, afirmou. 

Emanuel disse que deveria existir uma relação institucional e respeitosa entre as duas autoridades no estado, mas reforçou que apenas reage quando Mauro “prejudica Cuiabá”. 

“Com tudo isso que ele fala de mim, com todos os absurdos, as agressões, a baixaria que ele se refere ao prefeito da capital, por Cuiabá e pela população cuiabana se ele me chamar um dia, amanhã eu vou, hoje a tarde eu vou, eu nunca disse o contrário. Nunca o ofendi moralmente, nunca o ataquei moralmente, eu ataco e critico quando ele mexe com Cuiabá, quando ele persegue Cuiabá, quando ele prejudica Cuiabá para atender, para atingir um adversário político, o inimigo que ele me considera”, explicou.

Comente esta notícia

Av. Brasil, 107-W

Cuiabá/MT

(65) 99962-8586

[email protected]