Cuiabá, 20 de Junho de 2024

icon facebook icon instagram icon twitter icon whatsapp

Política Terça-feira, 04 de Junho de 2024, 15:57 - A | A

Terça-feira, 04 de Junho de 2024, 15h:57 - A | A

rejeitou o pedido

Câmara barra abertura de comissão que poderia cassar Emanuel

O pedido havia sido feito pela opositora Maysa Leão por conta do não pagamento de emendas

Midianews

A Câmara Municipal de Cuiabá rejeitou o pedido de abertura de mais uma comissão processante contra o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB). 

O requerimento, formulado pela vereadora Maysa Leão (Republicanos), citava o não pagamento de emendas destinadas a cirurgias eletivas nas unidades de saúde da Capital. 

Dez vereadores votaram pela abertura, enquanto doze foram contra. Houve três ausências (veja votos abaixo).  

Em entrevista recente, o presidente da Casa de Leis Chico 2000 (PL) denunciou que Emanuel não teria pago quase R$ 30 milhões de emendas impositivas que foram reunidas em uma ação conjunta dos parlamentares.

O montante, segundo o parlamentar, seria destinado a zerar a fila de cirurgias eletivas. 

Após a votação, os vereadores foram justificar seus votos e iniciou-se um bate-boca. A vereadora Edna Sampaio (PT), que se coloca como oposição a Emanuel Pinheiro, votou contrária à abertura da comissão, o que trouxe descontentamento ao colega Dilemário Alencar (União). 

Também oposição ao prefeito, Dilemário ressaltou que o voto de Edna “salvou” o prefeito da abertura do processo. Isso porque, caso Edna votasse favorável à abertura da investigação, haveria um empate. Neste caso, o presidente da Casa Chico 2000 (PL) deve votar. 

"O voto da vereadora Edna salvou o ‘prefeito do paletó’. Salvou o prefeito dos grandes escândalos de corrupção. [...] Ela diz que é oposição... Oposição coisa nenhuma! Oposição mequetrefe. Ela salvou o prefeito! [...] Oposição mequetrefe!”, disse Dilemário. 

Em seu direito de resposta, a petista atacou Dilemário e o acusou de ter uma “obsessão absurda” por ela. 

“[...] Uma paixão política que eu não posso corresponder, obviamente. E eu acho seguinte: quem pula de galho em galho é o senhor, que cada dia está em um partido diferente. É um sobrevivente que faz qualquer coisa para estar aqui. O meu voto quem responde por ele, sou eu. Eu não vou me silenciar porque o senhor quer”, afirmou. 

Esse é o 17º pedido de comissão processante que Emanuel consegue derrubar na Câmara. Um único passou pelo crivo dos vereadores, mas o prefeito conseguiu judicializá-lo, paralisando-o. 

Esse pedido se baseia na decisão do desembargador Luiz Ferreira da Silva, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, que determinou o afastamento de Emanuel no último dia 4 de março. Ele ficou três dias afastado.

Veja como cada vereador votou:

 

Contra: 

Adevair Cabral 

Didimo Vovó 

Edna Sampaio 

Jefferson Siqueira 

Lilo Pinheiro

Marcrean Santos 

Marcos Brito 

Mario Nadaf 

Renivaldo Nascimento 

Rodrigo Arruda e Sá 

Sargento Vidal 

Wilson Kero Kero 

 A favor: 

Cezinha Nascimento 

Demilson Nogueira 

Dilemário Alencar 

Luiz Fernando 

Eduardo Magalhães 

Eleus Amorim  

Felipe Correia 

Michelly Alencar 

Rogério Varanda

Sargento Joelson  

Ausentes: 

Chico 2000

Kassio Coelho

Paulo Henrique

Comente esta notícia

Av. Brasil, 107-W

Cuiabá/MT

(65) 99962-8586

[email protected]